Home Studio: 11 dicas de ouro pra você montar o seu

Está querendo montar seu home studio mas não sabe por onde começar? A gente separou essas dicas que são quase um passo-a-passo pra você montar o seu. Confira o que você vai precisar:

1. Um cômodo

A primeira coisa a se fazer – antes mesmo de comprar qualquer equipamento – é definir onde vai ser seu home studio.

Se você tem um cômodo em casa que pode servir exclusivamente de home studio, ótimo. Meio caminho andado. Se o lugar for mais afastado da rua, melhor ainda, porque assim você vai precisar lidar menos com os ruídos externos.

Mas seu home studio não precisa ser necessariamente num cômodo exclusivo, pode ser no seu quarto. O importante é que seja num espaço onde você possa ter privacidade pra trabalhar com concentração e sem muitos barulhos.

2. Isolamento acústico

Arrumou um cantinho pra começar a se instalar? Massa! Agora vamos pensar sobre o som do espaço.

Por exemplo, se seu home studio ficou num lugar que recebe bastante barulho indesejado, é legal pensar em investir num isolamento acústico. Assim suas gravações não terão ruído de carro, cachorro latindo, passarinho cantando, etc.

Geralmente a maior parte do ruído que entra, vem das janelas e da porta, mesmo estando fechadas. Soluções como veda frestas, cobertores e cortinas acústicas podem ajudar bastante na hora de segurar esse som indesejado.

Exemplo de cortina acústica aberta.
Exemplo de cortina acústica quando fechada.
Porta com isolamento acústico caseiro.

Um método pra diminuir o ruído que entra pela fresta da porta. 

3. Tratamento acústico é bom

Pra tirar um pouco do reverb da sala e conseguir ouvir um som mais próximo ao real, o tratamento acústico é fundamental. Seja ele com painéis de absorção ou difusores, espumas, tapetes e até estantes com livros, colchões e cobertores, tudo isso funciona pra dar aquela segurada no reverb. Só tenha cuidado pra não secar demais a sala e deixa-la totalmente sem agudos.

Painéis de absorção. Fonte: architonic.com
Painel difusor com absorção.
Tapete em uso. O sofá também absorve bastante. Fonte: soundrooms.tumblr

4. Computador

A principal ferramenta que permite que home studios existam. Essa é uma das coisas mais importantes também, e talvez seja no que você deva investir mais dinheiro inicialmente.

Isso porque é por ele que seu áudio digital será processado, portanto é fundamental que o computador tenha desempenhos de memória e processamento excelentes.

É possível produzir com softwares mais leves em computadores menos potentes, mas é interessante investir em um bom pra você evitar latência nas suas gravações e ele não travar toda hora.

Um computador ou laptop com 8GB de memória RAM e HD de 128GB dá conta de produções pequenas.

5. Software de áudio

Fonte da imagem: Over Drive Studios.

O software de gravação ou DAW (Digital Audio Workstation – Estação de Trabalho de Áudio Digital) é, literalmente, a sua estação de trabalho. É nela que você vai gravar suas produções, edita-las, mixa-las e masteriza-las.

A lista de DAWs disponíveis é grande, então aqui vão algumas: Ableton Live, Logic Pro, FL Studio, Reaper, Avid Pro Tools.

Pra escolher sua DAW, é ideal que você pesquise bem e veja vídeos sobre as que te interessam.

6. Plugins

Fonte da imagem: Mastering Box.

Podem ser desde instrumentos virtuais compatíveis com a sua DAW, como também ferramentas como equalizadores, compressores, simuladores de pedais de guitarra, simuladores de amplificadores, efeitos, etc.

Atenção, antes de baixar os plugins ou pacote de plugins, confira se o formato do arquivo é compatível com a DAW que você já utiliza.

Por exemplo, o Logic Pro não permite arquivos VST, apenas arquivos AU.

Abaixo você encontra uma lista das DAWs mais populares e os tipos de plugins que cada uma aceita.

Formato PluginSoftwares populares que aceitam o formato
VSTAbleton Live, Cubase, FL Studio, Studio One Reason, Reaper, Nuendo
Audio Unit (AU) somente em iOSLogic Pro, Ableton Live, Studio One
AAXPro Tools 10 e posterior
RTASPro Tools 10 e anterior
Fonte: Plugin Boutique.

7. Interface

É onde a magia acontece. A interface permite você transformar o som analógico em áudio digital, além de permitir a monitoração por meio da saída de fone e pelas saídas LR. É nela que você pluga seu microfone ou instrumento.

Antes de comprar sua interface responda a esta pergunta:

Quantos canais você vai precisar?
Você vai gravar apenas voz e violão? Uma interface de 2 ou 4 canais já dá conta. Se você for gravar um podcast, um duo, ou produzir sua música ou de artistas solos essa quantidade de entradas é uma boa.

É muito comum que os home studios tenham interfaces com no máximo 4 canais.

Confira algumas opções de interfaces de áudio que temos no site. É só clicar na imagem para abrir:

Interface Focusrite Scarlett 2i2, 2 canais de entrada, 2 de saída e uma saída de fone de ouvido.
Pessoa usando a Interface Focusrite Scarlett 2i2.
Pessoa usando a Interface M-Audio AIR 192-4.

8. Fone de ouvido

É fundamental para as gravações. Para ouvir o metrônomo, se ouvir bem e identificar detalhes no momento da gravação.

Também são bastante usados para mixagem binaural e efeitos desse tipo.

Veja algumas opções de fones de ouvido que temos no site. É só clicar na imagem para abrir:

9. Monitores de referência

Eles são seus aliados para a mix e a master. Pesquise bem antes de comprar e tenha em mente que maior não quer dizer melhor. Não compre monitores com alto falantes de subgrave muito grandes se sua sala for pequena porque vai sobrar grave e isso pode prejudicar muito na hora da mixagem.

Confira algumas opções de monitores de referência disponíveis no site. É só clicar na imagem para abrir:

10. Controlador MIDI

O queridinho da redatora, eu amo esse equipamento e ele expandiu muito o meu repertório na criação de trilhas sonoras e produção musical.

Já escrevi aqui sobre Controladores MIDI – como funcionam e porque ter um em seu home studio mas vai aqui algumas vantagens desse carinha:

  • É possível reproduzir milhares de timbres diferentes de instrumentos diversos.
  • Poupa muito espaço. Por ser extremamente compacto é ideal para home studio e para se locomover.
  • Silencioso. Pode-se utiliza-lo usando fones.
  • Podem ser mais acessíveis e simular sons de equipamentos muito mais caros.

Aqui você encontra algumas opções de controladores MIDI que temos no site. É só clicar na imagem para abrir:

Essa ferramenta somada a um bom software de áudio nos permite reproduzir sons e timbres dos mais diversos instrumentos: Piano, bateria, sintetizadores, beats, instrumentos de arco, de cordas, baixo e até voz! Dessa forma é possível produzir músicas completas em casa.

11. Microfone

Se você pensa em produzir apenas música eletrônica ou instrumental, talvez você não precise de um microfone. Mas se você é guitarrista, por exemplo, gravar a guitarra com um microfone no amplificador geralmente soa muito mais bonito e natural do que gravar a guitarra em linha e encher de plugin de efeito e emulador de amps depois.

Pra quem canta esse equipamento é fundamental. Pesquise bem a aplicação dos microfones que você se interessou e veja muito vídeo no Youtube de reviews antes de comprar. Eles são um investimento e tanto.

Veja algumas opções de microfones disponíveis no site. É só clicar na imagem pra abrir:

Não é regra

Tem muita gente por aí fazendo música muito boa com pouco recurso e com menos da metade dessas coisas listadas acima. O mais importante de tudo é criatividade e fazer a parada com paixão.

Pra quem ainda tá na dúvida de montar um home studio, ou não tem condições de montar um mas quer começar a produzir, eu sugiro baixar o app Band Lab.

Fonte da imagem: Wikipedia.

O Band Lab é uma plataforma que permite criar beats, gravar instrumentos e voz, mixar e masterizar seu som. É incrível e tem muita gente usando. Confira no site ou baixe o aplicativo.

O que você achou dessas dicas?

Se você tem sugestões e alternativas pra qualquer coisa dita aqui, por favor, comente para expandir os conhecimentos desse post.

Fico por aqui, até a próxima!


Isabela Leite é redatora do blog Café no Estúdio e SEO da Musica Center. Técnica de som e roadie, toca guitarra e canta na banda Metromanas, é sound designer e encabeça o projeto musical Bile Bauer.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *